O que me prende a você

A intensidade do meu amor varia com a inconstância dos meus humores e com o desfecho dos nossos encontros. Qualquer sinal daquelas paixões avassaladoras de que tanto me falam não dura mais do que poucos segundos — segundos estes em que se concentram meus desejos mais ávidos —, para, em seguida, esvaírem-se como meras ilusões. Então eu caio de novo num sentimento meio morno, meio letárgico, perguntando-me o que me prende a você... E descubro ser justamente isto: a dúvida. É a dúvida que me prende a você.