Traição


Há algo na porta
Que entra, me toma e me abraça
Sempre que meus receios superam meu cansaço:
Insônia
Insaciável!
Ama a noite e ama os fracos
Sorri-me nas sombras
Sussurra-me um zilhão de segredos
Que só me afastam ainda mais da paz
Faz com que as horas se estendam infinitamente no psicológico
E rapidamente no relógio
Insana!
Sorri-me no escuro
Assegura-se de que eu nem sequer pisque
E viro para um lado e viro para o outro
Na cama que ferve e gira
E suo, e sofro e sonho sonhos que não são sonhos
Até que, cinco e cinco da manhã,
Insônia não mais insista
Sai, cedendo-me ao sono
(Meu frágil e traído dono)