Quem ama e sonha


Minha árvore de desilusões está dando flor
Flores que brotam, crescem, amadurecem
E então caem de desiludidas
Sem, contudo, abandonar a última ilusão:
Pensam que morrem e se livram deste mundo
Quando na verdade viram adubo
E alimentando a árvore que sou eu mesma
Perpetuam a triste sina dos que amam e sonham