Luzes natalinas

Minha alma caminhando dentre as luzes natalinas... Dezembro, ? Desconfio que mentiram quando me disseram que o ano dura um ano. Os anos nem existem! E Papai Noel? Ah, esse existe... Neste Natal, eu soube, vem deslizando seu trenó numa avalanche de lama. De que importa que as casas não tenham chaminé? Elas também não têm telhado. Nem gente. Nem os rios têm peixe. Demos graças ao deus Dinheiro. Depois da oração, os presentes.

13 comentários:

  1. Crítica maravilhosa. Sucinta, um texto aparentemente simplório, mas repleto de significado oculto

    beijo
    beinghellz.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Realmente, é triste constatar que o Papai Noel, é mais lembrado do que o nosso Grande Mestre Jesus... E já faz tempo.
    Gostei, Larissa.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Para serem mais convincentes, as grandes mentiras abusam do colorido.
    GK

    ResponderExcluir
  4. BRAVO! Estou simplesmente impressionado com o poder que envolve tão poucas palavras. O rio não tem mais peixes, e nessa avalanche de lama cuja qual fomos expostos, o verdadeiro espírito do Natal, talvez, não seja o mesmo para muitos. Ótima crítica ao desastre de Mariana. Moro em Governador Valadares e consegui ler isto no seu texto. :) Novamente.... BRAVO.

    ACESSO PERMITIDO. ♥
    http://www.acessopermitido.com/

    ResponderExcluir
  5. Poxa! Forteeee!!!!!!! Muito verdadeiro. Ninguém lembra, por exemplo de cantar parabéns por aniversariante, antes da ceia. Gosto de poemas assim. Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Ótima reflexão e link com a tragédia de Mariana. Esse Natal, como todo Natal, será diferente para muitas famílias. Mas parece que é sempre assim né? Há sempre uma tragédia nos assombrando.

    Beeijo
    Resenhando Sonhos

    ResponderExcluir
  7. Anônimo3/12/15

    A elegância das tuas poéticas criticas,me enchem de de uma alegria de sol.
    Te amo, eu gosto da tua energia e brilho nesse poema que ataca e concilia.

    ResponderExcluir
  8. Baa, as coisas mudaram por aqui, está bonito *.* E quanto ao Natal, bom, é uma dentre as muitas datas que pra mim não fazer o menor sentido de existirem, um ype ao capitalismo e nada mais. Mas tu descreveu de uma maneira interessante e sorrateira, gostei de ver.

    Passe bem Lari <3

    ResponderExcluir
  9. Uau!
    Que coisa mais linda e doída de se ler. Porque o bonito até fica bonito quando em palavras... mas o triste. Ah, o triste fica lindo.

    ResponderExcluir
  10. Na primeira linha eu pensei: Ah, vai ser um texto sobre nostalgia e como o tempo passa rápido...
    No final do texto: Tava na cara mesmo. Nhe, já imaginava.
    Pior que isso me faz pensar que mesmo com tudo isso acontecendo, o natal aqui em casa vai ser muito parecido com os dos anos anteriores, porque nada parecido com uma tragédia aconteceu, ao mesmo tempo só consigo pensar que para essas família muito provavelmente será o pior de todos.
    E, de novo, nada, numa maneira geral, vai realmente mudar pra maioria, mas sempre é assim não é.

    ResponderExcluir
  11. Bravo! Bravo! Bravíssimo!
    Lari, Lari... Não importa o tema textual, você consegue ser grandiosa em qualquer escrita. E não importa o quão acostumada eu sou com os teus textos, eu SEMPRE me surpreendo.
    Bravo!!!!

    P.S.: E é uma pena todas essas tragédias, especialmente porque são consequências de atos (ambições) humanas, estes que continuam cegos perante o capitalismo.

    ResponderExcluir
  12. Estou impressionada!
    Não imaginei que fosse falar da tragédia, mas falou e agora estou boquiaberta!

    Bravíssimo, Lari.

    Com carinho,
    Pietra.

    ResponderExcluir