Desobediência


De que adiantam os alertas do meu juízo? Embrenham-se meus pensamentos por passagens que pouco conhecem — escuras, tortuosas, perigosas — e, num curto espaço de tempo, já se veem perdidos. No desespero, gritam. Gritam , gritam, gritam...! Em vão tapo os ouvidos. Dói-me a cabeça. Apelo ao sono, esperando, ardentemente, que meu subconsciente resgate os tais pensamentos (e que eles virem, de castigo, apenas sonhos vagos).