Até o fim


Sua coragem está que é pele e osso, velha e desgastada, não o impele a mais nada, e ele chora por saber que ela não morre, sofre e sofre mas não morre, resiste e não morre, fica, moribunda, rodeando-o, sussurrando-lhe casos quaisquer de mártires, de mães sem filhos, de guerreiros e de exilados, rindo um riso asmático e dizendo que tudo é passado, foi-se sua força heroica e ela não pode ajudá-lo, mas a inútil não morre, tosse e tosse mas não morre, resiste e não morre, assombra-o dia e noite, dia e noite, dia e noite, dia e noite...

...

— Soube que a coragem dele morreu, enfim?
— Sim. Morreu e levou-o junto. Morreram os dois.