Dia após dia, saciemo-nos


A verdade é: as palavras que narram meu passado mal se lembram do que comeram no almoço. De que importa? No estômago tudo se mistura e o suco gástrico dá um jeito em muita coisa. O resto, tão passageiro... Minhas palavras sabem. Sabem e relevam. Sabem e preocupam-se apenas com o alimento que, mesmo que depois parcialmente esquecido, amanhã, outra vez, esperarão à mesa.