Toca


Se sua alma tivesse coluna,
é certo que já estaria torta
de tanto que ela se enverga para dentro de si mesma.
E, uma vez abaixo do nível dos olhos do próprio corpo,
que já tão pouco se abrem para deixarem a luz passar,
desconhece o que se passa lá fora,
ignora os rostos que se aproximam,
aliena-se por completo
e enverga-se mais,
e outra vez mais,
e outra vez mais...
Dobra-se infinitas vezes sobre ela mesma
e se compacta tanto, mas tanto, que vira buraco negro
e se suga.