Ponteiros de horas, ponteiros de norte


Há um século e meio
num devaneio
de meio segundo

Sua presença,
como me desnorteia!