Expectativas aladas


Nossos olhares cruzados
nos conduzem
a uma nova infância:
por um segundo-mil-anos
tudo o que nos apraz é crível,
possível,
capaz...

Cremo-nos infinitos
mas, em seguida,
seguimos...

Rumamos desiludidos à Terra do Nunca Mais.

12 comentários:

  1. Ah, eu sempre me sinto tão bem lendo as coisas que você escreve. As fotografias que você consegue fazer também são incríveis. ☺
    https://afogandonachama.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Laura 😍

      Abraços!

      Excluir
  2. Se à fé é crível, é que é possível.
    GK

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Gugu!

      Boa semana para você!

      Excluir
  3. Eu me senti muito representada nesse poema porque eu sempre sinto que minha vida é uma completa controvérsia entre a alegria de ser criança (e um pouco imatura as vezes) e o peso da vida adulta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por seu comentário, Natália!

      Tenha um dia bem bonito!

      Excluir
  4. Teu poema, como a imagem me fez pensar na troca, compartilhamento, onde cada um leva um pouco de cada um, assim como agora onde levo de ti mais que inspiração, mas uma alegria quando sei que tu existe e me faz bem ... abraço e bom fim de semana.
    Grato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que interpretação linda! Obrigada por compartilhá-la comigo 😊

      Abraços e um fim de semana maravilhoso para você!

      Excluir
  5. Seu poema me trouxe um sentimento delicioso, revisitei um lugar ótimo <3 hahah um bêjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom saber que ele provocou isso, haha 💛

      Beijos!

      Excluir
  6. Amei o título. Bem condizente com o texto. E essa foto, uau, muito bonita!

    ResponderExcluir