Espírito natalino

Naquele ano, as luzinhas estavam piscando de um jeito estranho... Não era o mesmo acende-apaga-acende-apaga de sempre, seguiam outro ritmo. Descobriu qual na véspera natalina: enquanto as observava, veio de uma propaganda televisa o Jingle Bells — era como se o dançassem.

Foi até o quarto procurar na embalagem delas se aquilo era normal. Teria sido útil, se soubesse ler chinês.

Voltou à sala com a intenção de retirar o enfeite da tomada e recolocá-lo em seguida para ver no que dava. A meio caminho do cômodo, contudo, invadiu-a um cheiro maravilhoso de canela. Poderia atribui-lo às peripécias culinárias de algum vizinho, mas o bairro era novo e as casas, muito afastadas... Mesmo que não fossem, o aroma vinha nitidamente da sua própria residência. Nem estivera cozinhando nada! O que era aquilo, agora? Teria a gata derrubado os vidros de condimentos?

Na cozinha, o susto: no meio do escuro, a luz do forno acesa. Acendeu a do teto, foi até o fogão, abaixou-se para verificar o que estava havendo. E havia que o forno também estava aceso. Nada dentro dele, mas era dali que vinha o cheiro.

Queria ter tempo para pensar sobre isso assim como o quisera para pensar sobre os piscas-piscas, mas, então, um som de sininhos pela casa. 

Sentiu um aperto no estômago. O som oscilando em sua direção. Sentia-se congelada. O som cada vez mais perto...

Um miado. A gata, bem à porta da cozinha.

— Beth?

O bichano foi se aproximando devagar, acompanhado pelos badalos da coleira de sininhos que trazia presa ao pescoço.

— Merda, Beth! Onde é que você foi arranjar essa coisa?

A gata a encarava, mas não respondeu nada, Graças a Deus. Acariciou-a com os dedos trêmulos, um medo horrível percorrendo-lhe o corpo. E, para ajudar, um apagão. Os malditos apagões eram frequentes naquela época do ano, mas tinham que acontecer naquele momento? 

O pior era a claridade da sala... A energia acabara, mas os piscas-piscas continuavam acesos. Bem acesos. Jingle bells, jingle bells, jingle all the way...

Ao cheiro de canela, sobrepôs-se um cheiro de gás. Um forte cheiro de gás.

A luz voltaria a qualquer momento. Droga, droga, droga...

Um segundo paralisada pela adrenalina. Na fração de segundo seguinte, catou a gata e correu.

16 comentários:

  1. Que este espírito sempre sustente as nossas almas Larissa,
    toda felicidade a vc, ótimas festas bjs

    ResponderExcluir
  2. AAAAAAAAAAAAAAAAA LARIIII! Fantástico! Não sei se gostaria de conviver momentos com um espírito natalino desses! Uhehehehehe. Na minha interpretação não irá sobrar muito da casa quando as luzes voltarem. AAAAAAA. Que aflição. Adorei. Parabéns. Obrigado pelo carinho de sempre lá no AP! Feliz NATAAAAAL!
    ♥🎄♥🎄♥🎄♥🎄♥🎄♥🎄

    www.acessopermitido.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha' obrigada, Elcimar 💗💗 Feliz Natal para você também!

      Excluir
  3. Muito bom, Lari <3
    Te desejo um ótimo Natal, com muita paz e alegria, e ótimas festas!

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Bia! Desejo o mesmo a você 😊

      😘😘

      Excluir
  4. Como lhe é peculiar, "noir".
    GK

    ResponderExcluir
  5. Esse espírito natalino eu dispenso ahahaha
    Se isso me acontece eu caia dura no chão ou teria corrido sem precisar do apagão shauhs
    Adorei a "ironia", de natalino só as pessoas perto mesmo, amei!!
    N E O D E S V A R I O

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha' obrigada, Bruna <3

      Tenha um fim de ano bem bonito!

      Excluir
  6. Impressiona-me a naturalidade com que você construiu tal seu texto! Não sei se rio ou choro por Beth hahaha

    Beijos, Lari!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha' obrigada, Vitor!

      Beijos e feliz 2018 pra ti 😊

      Excluir
  7. consigo imaginar o som do sininho da beth, talvez porque meu gato tem uma coleira assim e é o único jeito de acha-lo pela casa haha
    feliz natal atrasado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que fofinho 😆💗

      Para você também, Lari! E um 2018 maravilhoso!

      Excluir
  8. Anônimo30/12/17

    Delírio e alucinação, além de ser escritora digna de Nobel, tu deveria fazer medicina. Isso é instinto traduzido em conto, incrivelmente bom demais ... Claro que é pro futuro, mas é isso.
    Um ano muito alegre pra ti, eu desejo isso toda vez que você me faz assim e foram muitas vezes em 2017.
    Até 2018. Abraço e beijo no coração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitíssimo obrigada 😊💗

      Que você tenha um 2018 maravilhoso! Abraços 😘😘

      Excluir