Pequenos consertos

Talvez eu nunca remende
o buraco do pijama
ainda que isso seja tão fácil
quanto lhe dizer um oi
e eu não faço nenhuma dessas coisas
porque o tempo,
ah, o tempo...,
eu não posso culpar o tempo
nem você
nem as costuras que se desfazem
nem mesmo a mim
pois não há culpa
pois não há nada contra
os atos simples
mas tão simples
que de humildes se encolhem
às nossas vistas
e se relegam à negligência infinda
à ficção do depois.

6 comentários:

  1. Viver é um constante rasgarmo-nos e costurarmo-nos.
    GK

    ResponderExcluir
  2. NOSSA. é exatamente isso que sinto agora. sempre maravilhoso te ler. um ato de encontro com a beleza de uma expressão infinita.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre maravilhoso ver um comentário seu por aqui 💗 Obrigadíssima, Douglas!

      Excluir
  3. Anônimo10/5/18

    Quando não há culpa, nem nada mais e sobra toda essa poesia tua, então eu creio e posso afirmar que o mundo começa a ficar melhor.
    Estou grato por isso que tu faz, ótimo fim de semana.
    Abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu, muito, muito grata pelo que disse 💕

      Abraços e um fim de semana lindo pra ti!

      Excluir