Fragmentário

1.

Ao inferno os vizinhos que fingem não ter vizinhos.

2.

Subestimar o sono alheio não é sensato, nem o é chegar atrasado e desconsiderar que no mercado dos tempos o tempo do outro vale o mesmo que o seu. (É-o menos ainda encher os bolsos a relevar que os bolsos têm limites e as barragens não são limites, mas os têm também.)

3.

Aprendemos a bater cartão e a tolerar algumas injustiças, mas ainda não sabemos nadar em lama.

4. 

Como é que você se sente quando, ao enfiar as mãos nos bolsos, as retira pegajosas e marrons?

5. 

Aprendemos a bater cartão e a tolerar algumas injustiças. Você desaprendeu a sentir?

4 comentários:

  1. Eu nunca gostei tanto de um post tão curtinho, mas que pra mim transpareceu tantos pensamentos e reflexões. Amei, amo seu trabalho e o seu blog.
    Beijos, espelho do Reino <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada demais, Erika 💗

      Abraço enorme pra ti 😘😘

      Excluir
  2. Suas palavras sempre certeiras

    ResponderExcluir