Reassunção

Foi uma renúncia delicada
desviar-lhe os olhos
quando os seus 'inda me iam fundos.
Ao cerrar os cílios
um milhão de pássaros
perpassou-me as pálpebras
com prenúncios vespertinos
e presságios de paz.
Os pássaros se aconchegaram rápido.
Eu sorrio quando os sinto ressonar,
e penso nos sofrimentos que se evitam
quando se escolhe sofrer homeopaticamente
no tempo e momentos certos.
A dor às vezes é calma e sábia
e nos faz cafuné antes de dormir.
Ela fica um pouco
e numa manhã qualquer, :
foi-se embora sem café.
Junto aos pássaros.
Rumo ao passado.

8 comentários:

  1. Amei esse poema, Lari ✿ principalmente esse trechinho: "A dor às vezes é calma e sábia
    e nos faz cafuné antes de dormir."


    Uma ótima semana pra você!
    Abraços,
    antique faerie

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigadíssima, Bia!

      Para você também ♥♥

      Abraços!

      Excluir
  2. Anônimo19/6/19

    Adorei sobre a homeopatia do sofrimento, sobre entender a dor e aceita-la tão poeticamente. Tu sempre encanta e surpreende. Beijo no coração.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Lari!
    Acho bonito como a poesia é mestre em acalmar a alma que, de algum modo, sofre. Por isso, ela é tão necessária em tempos como os nossos.
    Seus versos são tão belos que emocionam.

    Um beijo,
    Fernanda Rodrigues | contato@algumasobservacoes.com
    Algumas Observações
    Projeto Escrita Criativa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário lindo e pela presença sempre tão bem-vinda, Fernanda!

      Outro para você <3

      Excluir