Prosas poéticas

AS PÁGINAS DANÇARINAS
[24/03/19] Nota sobre a perfeição
[03/03/19] Todo e qualquer espaço vazio


FRAGMENTÁRIO
[08/03/19] Nossos duplos
[12/02/19] Ainda não sabemos
[30/09/18] Gritos alucinados
[16/05/18] Palavras podem ser sádicas e cruéis
[05/03/18] Inspirada como Deus quando criou os morangos


PROSOPOPEIAS
[16/03/19] Honra ao mérito
[21/01/19] O bom aventureiro
[12/10/18] Estudo sobre o voo das horas
[09/09/16] Rápida e enfadonha existência, póstuma insignificância
[17/04/16] Uma história
[20/03/16] Dia após dia, saciemo-nos
[13/03/16] Embaraço
[06/03/16] Pequenina
[28/02/16] Inútil faxina
[21/02/16] Espelho já sem uso
[21/01/16] Até o fim
[09/01/16] Sobressalto
[04/01/16] Sentença
[25/12/15] Desobediência
[19/12/15] Vã tentativa
[15/12/15] Arame farpado
[27/11/15] Temperos e tempos
[24/11/15] Filhas-lembrança


TRECHOS DE ALMA
[02/12/18] Agu(a)çar
[17/04/17] Átimos
[05/03/17] Autoria
[06/01/16] Amplidão
[01/12/15] Luzes natalinas
[18/11/15] Nuvem de chuva
[17/08/15] Quase sem espaço
[21/06/15] O silêncio é sábio
[26/04/15] A abstração da casa e o concreto da loucura
[19/03/15] Sobre estes parênteses
[17/01/15] Meu mistério e minha poesia
[04/01/15] O que me prende a você
[02/12/14] "Pluviophile"
[13/09/14] Triste confissão
[17/06/14] Preces de uma noite de insônia
[05/05/14] Donzela desconexa do olhar desconectado
[21/09/13] Organizando palavras
[09/06/12] E se fossem como as estrelas?
[02/05/12] Neste momento