Subconscientemente

Gozam de liberdade os meus sonhos:
vagando por terras sem impostos,
impondo sua vontade a deuses,
experimentando,
distorcendo,
criando...

Gozam de eternidade os meus sonhos:
eu sempre me entregarei ao sono;
fato.

Gozam de ignorância os meus sonhos:
a abençoada ignorância...
Têm tudo e não sabe quanto têm... 

A subconsciência lhes convém.

Perecedouro


Enfada-me 
saber tão pouco sobre mim 
além de que tudo o que me constitui 
é este segundo em que vivo,
ao qual me agarro,
no qual me desfaço
para converter-me em outra 
no segundo seguinte que meu coração bombear.

Pois minhas veias, minhas artérias, são isto:
galerias de tempo.

Meus ossos...
alicerces de incerteza.


Formulário de contato (para a página de contato, não remover)