Poema amanhecido

As palavras que escrevi antes de dormir,
(aquelas que me pareceram tão bonitas),
enquanto eu dormia,
se embebedaram, se drogaram, se acabaram.

Quando da ressaca matutina,
não havia lirismo quando reclamavam de dor,
não havia emoção em suas vozes engroladas
nem beleza, sob suas olheiras roxas.

Suspirei fundo. Paciência.
Lápis e papel:
vamos lá outra vez...

Gravidade celeste

Inclinar o pescoço para trás,
olhar bem para cima,
inebriar-me de céu.
Sentir-me cada vez mais tonta com minha própria pequenice,
perder noção de tempo, de espaço, perder sentidos,
cair para cima,
afogar-me de céu.


Formulário de contato (para a página de contato, não remover)