“... and nothing more”

As unhas são roxas
desse frio interno
e da saudade eterna
de outras mãos mais quentes.

Habitam-me os extremos da Terra
onde os dias têm durações estranhas
as paisagens sãs monótonas
e o clima é inóspito:
neva, neva, neva.

Isolo-me nestes confins
e sei mentir quão bem estou.

(As unhas me contradizem,
agourentas como um corvo de Poe:
"Never, never, never".)

Formulário de contato (para a página de contato, não remover)