Nossos duplos


1. 

Ao eu que se duplica no espelho só falta alma. Seus sorrisos bem treinados têm desafiado os meus, tão sem jeito, e por detrás do fulgor dos seus olhos vejo ideias que nunca teriam me passado pelo pensamento.

2. 

A evolução dos nossos reflexos refletem nossa própria insensatez: é preciso que fiquemos, o tempo todo, atentos a essas superfícies que nos reproduzem. Não importa que nos chamem de egoístas, narcisistas, tresloucados; é preciso tomar conta dos nossos duplos... (Certificarmo-nos de que ainda são bons discípulos a nos imitarem em tudo.)

3. 

Não se pode dar a eles uma liberdade maior do que essa. Não se pode ter pena.

4. 

Eu digo isso a mim mesma diante do espelho e o que vejo é ela, que do espelho me vê, balançar a cabeça para lá e para cá, É tarde, meu bem, é tarde. 

5. 

Engulo em seco. Afasto-me do espelho e vou dormir com medo: não quero perder-me o lugar. 

2 comentários: