Cata-ventos d’ouro

Sim, os cata-ventos de ouro
se extinguiram
porque os acusaram de bagunçar ideias.
Eu não estava lá,
no fatídico dia
em que os arrancaram da terra.
Eu não estava lá,
mas de geração em geração
se transmitiu a tristeza
pela ausência dos vislumbres dourados
a sorrirem no vento.
Assim é que me dói,
me dói profundamente
saber que em nossa praça havia
um grande cata-vento dourado
que sorria,
dia após dia,
em nossos vendavais.
E pensar que foi derretido
e que do metal belíssimo
denteou-se a família inteira
do prefeito suposto ilustríssimo.
Eu conto tudo isso a Lúcia
— tão lúcida.
Ela me olha com desprezo
e diz que sou bagunçada das ideias.
Aí eu perco a paciência...
Já disse, Lúcia, já disse! 
O que bagunçavam as ideias eram os cata-ventos d’ouro,
e há tempos eles não existem mais.

4 comentários:

  1. Lindo, lindo ... por essas alegrias e outras, que toda a tua poesia me dá, eu desejei no dia 07/04 todas alegrias bordadas de felicidades pra ti. Eu não tinha certeza, porque já errei o dia uma vez .. mas desejei muito que tua caminhada e a tua arte seja sempre alegre, triste e feliz.
    Os anjos haverão de me ouvir, eu sei ..!
    Grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada ♡

      Sobre meu aniversário? Foi dia 6, haha! Mas não se preocupe, a data não é importante: o que conta para mim é ser lembrada assim, de maneira tão bonita, e eu só tenho a ser grata... Muito obrigada, mais uma vez!

      Um abraço enorme para você.

      Excluir
  2. Suas palavras fazem coisas tão trágicas e tão reais ficarem quase bonitas, Lari. Incrível. ♥

    ResponderExcluir