Sina

Você mata o dia
quando você não o registra
mas, quando você o registra,
você acaba matando
vários acontecimentos
filhos do dia
(então, assassina de passados,
suas mãos nunca estão limpas).

14 comentários:

  1. Oi, Larissa como vai? É bem verdade que de fato matamos os dias ao menos sem perceber na maioria dos casos. Embora haja em nossa matança uma preocupação exarcebada em estar construindo algo para um futuro promissor, existe também a sublimidade que, poucos conseguem enxergar num dia qualquer. Adorei o poema, como sempre cheio de dizeres simples, embora cheio de verdades. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Vou bem, e você?

      Muito obrigada pela visita e comentário (super pertinente!) sempre bem-vindos!

      Abraços, e uma semana maravilhosa para você ♡

      Excluir
  2. Oi Larissa!
    Estive tão ausente de meu blog, um cantinho que tanto gosto, e espero me fazer mais presente. Tenho acompanhado o que você escreve, e gosto tanto, suas fotografias também são lindas e seu blog precioso. Obrigada por compartilhar tanta poesia e beleza!

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Gaby! Que visita linda!

      Eu também espero, é tão bom poder apreciar suas ilustrações!

      Que gentileza, agradeço muitíssimo ♡

      Beijos! E uma ótima semana para você!

      Excluir
  3. O dia é uma mina que a nossa mente assassina porque precisa sobreviver para escrever sonhos, desses que você põe na sua poesia infinita, enquanto fabrica contos para o nosso prazer. Isso é uma sina que faz a vida vale a pena. Pra todos nós, por mim: gracias!
    Eu já disse que gosto de ti, né?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo carinho e gentileza imensa, meeeesmo ♡

      Excluir
  4. Bonjour, miss Larissa. Ça va?

    Como sempre, palavras precisas. Somos todos assassinos de minutos, segundos e horas e, acredite, isso vem me matando aos poucos nessa rotina louca da cidade grande... Mas, vamos levando, não é mesmo? Desejando que um dia, eu possa voar sem tempos nos interiores do país.

    Beijos açucarados e obrigada por visitar meu cantinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bruna! Como vai? (Eu vou bem, obrigada!)

      Somos, e vamos levando mesmo... E eu espero que você realize seu desejo: cidades interioranas têm suas limitações, mas são muito amor ♡

      Imagina! Beijos, e uma semana linda pra ti!

      Excluir
  5. Que saudade que eu estava de passar por aqui. Como você está? Eu acredito que não tenho aproveitado todos os momentos quanto deveria e por isso afirmo que sou um assassino realmente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey, Lucas! Estou bem, e tu?

      Obrigada por ter passado por aqui e deixado suas palavras ♡

      Todos somos, não? Assassinos. (De tempo. De passados.)

      Abraço enorme para você!

      Excluir
  6. São os pensamentos que me acontecem quando eu tento manter um diário. Hahaha
    Vou transcrever esse poema na minha agenda, eu amei s2

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. JUSTAMENTE. Os diários me deixam louca pelas próprias impossibilidades que contêm: a verdade que nunca é plena (visto que a memória é traiçoeira), as omissões...

      Fico muito contente ♡ Obrigada, Isa!

      Excluir