A duração de uma queda

Ficaram fiapos de nuvem
no meio do seu cabelo
e uns restos do aroma fresco
do primeiro azul da manhã.

E eu,
que sempre me perguntei como era o céu visto de perto,
dei-me por satisfeita.

(Os anjos são raros,
e se pervertem rápido.)

8 comentários:

  1. Oi, Larissa tudo bem? Muito bom o poema. Parabéns!

    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Luciano! E você?

      Muitíssimo obrigada ♡

      Abraços!

      Excluir
  2. Que delicadeza de poema!
    Lindo.
    Obrigada pela visita lá na casa.
    Bom final de semana.
    janicce.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que te agradeço muitíssimo, Janicce ♡

      Para você também!

      Excluir
  3. E eu que queria uma domingo feliz, dei-me por satisfeito com tua poesia. Eu acredito que anjos precisam ser influenciados pela humanidade para fazer bem o que fazem e por isso devem mudar, porque suas centelhas devem de alguma forma ser acrescidas aos dna's humanos, para que se produza Aliegheri's, Vivaldi's, Lope de Vega, Whitman, Clarices e VanGogh's ...
    Um feliz domingo para você e um grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ney, eu só posso é concordar plenamente! Mesmo porque tudo é metamorfose, não é? É assim que o mundo gira, e nós também.

      Muitíssimo obrigada pela presença e poesia em forma de prosa ♡

      Abraço enorme! Boa semana, e fique bem!

      Excluir