Como se mais nada


O último raio de sol bate no guarda-roupa e é por um segundo, apenas. Com a brisa fria que segue depois que ele se esconde, as cortinas fremem. Sinto-as como que desconfortáveis, como se suas dobras onduladas acotovelassem umas às outras sussurrando: “Quem pergunta?” Respondo a todas antes que qualquer uma se voluntarie: “Não, ainda não.” Elas sossegam, decepcionadas. O escuro do céu, que estava em suspenso (também aguardando resposta), cai. Acendem-se as luzes dos postes. Vai a noite como se nada, como se mais nada, tivesse acontecido.


6 Comentários

  1. Nem o tempo detém o que o tempo de tem.
    GK

    ResponderExcluir
  2. Oi, Larissa. Como vai? Que incrível! Te ler é sempre um presente para mim. Sou um sortudo por ter te comhecido, pois posso ler seus escritos quando quiser, pois sempre me agradam por completo. A sua arte é tão marcante para mim, pois conforta-me quando preciso. Adorei. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Luciano! Eu vou bem, e você?

      Tão bonito ler isso, muito obrigada mesmo ♡♡

      Abraço enorme e uma ótima semana pra ti!

      Excluir
  3. Belas palavras e boas imagens.

    Bom fim de semana!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratíssima ♥

      Um ótimo fim de semana pra ti!

      Excluir

Formulário de contato (para a página de contato, não remover)