O pós-antes

O momento 
antes
que a água ferva
que a porta bata
que o livro caia
que o gato pule
e que percebemos
como o momento
que não percebemos
O momento
despercebido
do prestes a acontecer
O momento
que morreu no 
momento seguinte
e que eternizamos
dentro do não-tempo
O momento
do não-momento
complemento do
memento mori:
o que não nasce
também morre.

10 Comentários

  1. Depende o que o quase tem do saber-se ou não o que vem.
    GK

    ResponderExcluir
  2. Magnífico!
    Um abraço e um feliz domingo de lindas imagens.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Ney! Uma semana repleta delas pra ti! ♥

      Excluir
  3. Oi, Larissa! Este poema talvez seja o mais impactante que você escreveu, digo isto por falar de morte. A morte para mim mada mais é que o não-momento despercebido no momento presente na morte física de algum ser vivente no planeta. Seus poemas são encantadores, mesmo quando tratado de algo triste. Adorei. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada mesmo, Luciano! Pela visita, por compartilhar seu ponto de vista, por sempre ser tão gentil! Um abraço enorme e uma ótima semana pra ti ♥

      Excluir
  4. Curioso pensar sobre. Li e reli várias vezes. Você é fantástica!

    Abraços ❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você, Lídia ♥♥♥

      Um abraço enorme pra ti!

      Excluir
  5. É a mais pura verdade.

    Bom fim de semana!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir

Formulário de contato (para a página de contato, não remover)