As pausas, de quando percebidas

"Quando nas pausas solenes
Da natureza
Os galos cantam solenes."
(Fernando Pessoa, 1930)

"[...] Quando a floresta se cala
Fica a floresta a falar."
(Fernando Pessoa, 1932)

1.

Os dias se fatiam entre silêncio e som, dividindo os pedaços entre seres humanos famintos que nem se apercebem da gentileza. Exceto por um pedaço muito alto de som ou um pedaço muito extenso, ou muito repentino, de silêncio.

2.

Aprender a saborear os sons e os silêncios, sem a tentação que nos faz agarrar os pedaços todos, de uma vez, e empilhá-los em pratos rasos em que seus gostos se misturam e não se distinguem.


14 Comentários

  1. Há dias em que se adia. E horas em que se demora.
    GK

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente! (Hoje, confesso, adiei um pouco meu dia...)

      Excluir
  2. Boa tarde, Lari. Tudo bem?

    Esses dias vi algumas no Instagram falando sobre fazer as coisas no dia a dia sem ouvir música, como trabalhar, malhar, faxinar, etc. E essas pessoas falavam sobre a importância do silêncio, sobre ser produtivo no silêncio. Realmente a música e os barulhos estão sempre presentes no dia a dia. Quem nunca ligou a TV só pra "ter um barulho em casa"? Além de apreciar e saber produzir no silêncio, é importante tentar se sentir confortável no silêncio também. Seu post me fez pensar mais ainda sobre isso.

    Super beijo e bom resto de semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabius, olá! Eu estou bem, e você?

      Que reflexão interessante você propôs aqui...! Sabe, tem atividades em que eu preciso de silêncio absoluto; em outras, porém, se não tiver uma música me animando nos fones, sofro horrores, haha (faxina, lavar roupa etc.). Mas: na natureza, não gosto de nenhum outro som que não seja da própria natureza. Ainda que, como nos poemas do Pessoa, seja o silêncio dela. Que eu acho belíssimo também, cheio de mistério.

      Outro para você! Tenha um resto de semana lindo ♡

      Excluir
  3. o silêncio tem sido muito bem-vindo no meu dia. realmente, as pausas são muito mais perceptíveis na ausência do som na rotina. saudades de uma lugar assim na natureza, pra me refugiar. :(

    tenho muita vontade de ler Fernando Pessoa, mas sempre me perco na hora de escolher por onde começar.

    mais uma vez, você e essa graça de juntar palavras bonitas,

    um beijo, Lari!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nicole!

      Eu tenho esse privilégio de ter muita natureza por perto, e espero que um dia você tenha também! Refúgios são tão necessários, né? Sorte que isso é uma das coisas que as artes podem nos proporcionar.

      Adoro Pessoa! Estou conhecendo a obra dele aos poucos. Dos heterônimos, conheço algo do Alberto Caeiro e do Bernardo Soares. Talvez você goste deste, no "Livro do desassossego". É uma prosa poética fantástica!

      Muito obrigada ♡

      Beijos! Fique bem ♡

      Excluir
  4. Belas palavras!

    Boa semana!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir
  5. Que coisa maravilhosa Larissa. <3
    Eu ando precisando parar para apreciar uma bela fatia de silêncio por aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Camila ♡♡

      Faça isso! Pausas são sempre bem-vindas!

      Abraço enorme pra ti.

      Excluir
  6. Transborda poesia. ♥

    ResponderExcluir
  7. Os dias cabem em nossas mesas, para quem te fome ou não..
    grande abraço e feliz semana!

    ResponderExcluir

Formulário de contato (para a página de contato, não remover)