Tudo tem muitas nuvens

me parece ocupação adequada
em dias de sol tão único.

Há alguns anos, por volta de dezembro (quando as nuvens são mais vastas), eu imaginava que cada visão do céu diurno nublado poderia revelar uma cena muito antiga: via cavaleiros em contenda, via carruagens cheias, via mulheres gordas com penteados altos. Talvez essa exata cena corresponda a um exato momento histórico do passado. Como se o céu fossem fotos de épocas em que não havia fotos.

Mas, assim, o céu seria parcial: escolher uma cena em detrimento de outra. O céu seria propaganda ufanista: mostrando cenários de guerra no exato momento em que o exército tal se saísse vitorioso, e como se de fato houvesse alguma vitória. O céu seria como os deuses gregos escolhendo seus heróis. E suas canções.

Mas nada é tão certo e tão simples quanto parece. Tudo tem muitos quadros. Tudo tem muitas nuvens.


"Todos os lados possuem uma verdade indesmentível. Nada a fazer. Presos na sua certeza absoluta, nenhum admitirá a mentira que edificou para caminhar sem culpa, para conseguir dormir, acordar, comer, trabalhar. Para continuar. Há inocentes-inocentes e inocentes-culpados. Há tantas vítimas entre os inocentes-inocentes como entre os inocentes-culpados. Há vítimas-vítimas e vítimas-culpadas. Entre as vítimas há carrascos."

Isabela Figueiredo,
Caderno de Memórias Coloniais
Editora Todavia
2018, p. 136

"Het moeras" (entre 1885 e 1888), por Anton Mauve

4 Comentários

  1. Às vezes eu vou para o terraço observar o céu, e algumas vezes ele se encontra tão cheio de estrelas que é possível até mesmo enxergar a via láctea, e então me pergunto: É esse mesmo céu que observava Copérnico e Galileu? É esse mesmo céu que os nossos ancestrais viam, guiavam-se através? E milhares de outros pensamentos que me faziam crer (e também viajar no tempo) que eu estava em distintas épocas diferente da nossa história. O céu é para mim uma obra de arte viva, da qual posso contemplar todos os dias - e todos os dias ele é surpreendentemente diferente do dia anterior. Amei demais essa postagem, a citação e a pintura maravilhosa do Anton Mauve. Um beijo, amiga ♥ E uma ótima semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comentário belíssimo, Isa! Só posso é concordar... Se a teoria das "cenas fotográficas antigas" (hahaha) me falhou, o céu continua sendo uma imensa fonte de reflexões e inspiração!

      Muito obrigada mesmo ♥♥♥

      Beijos, ótima semana e muitos encantamentos para você!

      Excluir
  2. Texto e fotos incríveis!

    Boa semana!

    O JOVEM JORNALISTA está de volta com muitos posts e novidades! Não deixe de conferir!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir

Formulário de contato (para a página de contato, não remover)