"Ser um par de olhos"

"Até a janela há o infinito
soando nos limites dos meus passos. Cinco.
Ser um par de olhos, isto sim,
piscando a paisagem distorcida.
Ontem
meus versos sangraram a tarde nos morros.
Mas quero ver agora o que a manhã ensina."

Regis de Morais,
em "Cinco passos até a janela", O caminho dos ventos
Editora Papirus, 1983, p. 30

Formulário de contato (para a página de contato, não remover)